sábado, 18 de junho de 2011

Máquina de fazer merda

Há algum tempo não descarrego uma boa água contida neste oceano aqui, meus rios foram todos interditados para reforma esta semana. Saca, né? Fim de semestre. É... todo fim de semestre/ano é a mesma coisa. As coisas se repetem. Então, somos máquinas. Robôs! pane no sistema

Isso não seria ruim. Mas já parou pra pensar que tipo de máquina nós somos? O valor e a qualidade da máquina você julga pelo produto. Temos o combustível mais variado do mercado. E somos exigentes na hora de escolher. Até colocamos tempero. Fica tudo gostoso. E ai nós comemos. Horas depois, sai nosso produto: bosta. Bem dizia a tia Rita Lee: "Tudo vira bosta".
 O ovo frito, caviar e o cuzido. A buchada e o cabrito. O cinzento e o colorido. A ditadura e o oprimido. Prometido e não cumprido. E o programa do partido. Tudo vira bosta. Tudo vira bosta. - Rita Lee
E é apenas isso que produzimos: bosta. Os melhores de nós são os chamados "pais" ou "mães", esses, pelo menos, produzem novas máquinas de fazer bosta. Eu, por enquanto, só faço merda mesmo.
Ainda assim estaria feliz. Se fosse apenas essa bosta que vem do alimento ingerido. Mas não... há ambiguidade. Material e moralmente: somos máquinas de fazer merda.

2 comentários:

  1. Creio nem precisar ressaltar o quanto me identifico e concordo com o que disse. :D #TudoViraBosta!

    ResponderExcluir
  2. Acredito que quem vê as coisas assim, de certa forma minimaliza suas ações, isso nos ajuda a ser mais críticos.

    ResponderExcluir

Digite seu e-mail aqui para receber atualizações do Descaradamasio. A média é uma postagem semanal.