sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Diagnóstico - Thaís Lourenço Cruvinel

Ficha

Paciente: Thaís Lourenço Cruvinel.

Perfil: http://www.twitter.com/lcthais

Idade: 22 anos.

Cidade: Goiânia / GO.

Ocupação: Acadêmica de Letras na PUC-GO.

Restrições apresentadas: Incompatibilidade raivosa à erros de gramática.

Prescrições: Twittar mais, escrever um blog onde possa dar seus ‘berros’ pra gente.

Diagnóstico rápido: Contradição que une razão e emoção.


Diagnóstico completo (para quem ousa entender):

Nada mais complexo que desafiar-me a prestar o julgo sobre o que é a quebra da dicotomia entre razão e emoção. Convido a abstração e a deusa Lethes para empurrar minha sinceridade. Já com estas duas companhias posso ver na paciente, Thaís Cruvinel, uma complexidade comparada à de um planeta. Justifico por observar que não conheço ninguém mais racional, objetiva e coerente e, ao mesmo tempo e inexplicavelmente, tão emocional, fraterna e virtuosa. Estas últimas características só me foram perceptíveis com o auxílio de outro Deus amigo, o Cronos.

Há os que remetam sua imagem à de pessoa conservadora e os que palpitem sobre sua espontânea clareza e liberdade mental. O diagnóstico atesta ambas as colocações. Para ser sincero me enraiveço com as dificuldades que me impõe agora. E não só agora! Há outro momento em que minha fúria sobe à cabeça: em sua presença sempre me acho pequeno, uma criança que aprende a ler e escrever. Simplesmente, Thaís parece sempre estar certa. Por isto há recomendação para os que convivem com ela: Não há risco de contaminação, mas os cuidados devem ser redobrados antes de fazer oposição à ela.

Inusitadas também são a criatividade e a confiança com que faz transparecer seu estilo. De falar, vestir, agir etc. Tudo a meu ver é belo. Thaís é Pagu, talvez não a escritora e jornalista do modernismo no Brasil, mas a configurada na canção de Rita Lee e Zélia Duncan. Completamente. “Minha força não é bruta./ ... / Sou Pagu indignada no palanque./ ... / Não sou atriz, modelo, dançarina. Meu buraco é mais em cima. Porque nem toda feiticeira é corcunda, nem toda brasileira é bunda, meu peito não é de silicone. Sou mais macho que muito homem.”

Acopla belezas sem maquiagem, razões sem frações e emoções sem traquinagem. Pura contradição. Destas combinações impossíveis que nela se possibilitam, garantidamente terá o quadro da “doença benéfica” desenvolvido fartamente. É visível que com toda confiança de mulher forte que aparenta, tem raízes na emoção e tem muito a demonstrar ao mundo e a si mesma. Privo-me de elogios baratos, são fatos deste “Raio-X”.


Com a palavra os “pimo lá da laje” (para quem não entendeu ainda):

Num tem jeito mesmo, né. Posso até dar meus trote e tentar passar no vocabulário pesado, mas os pimo lá da laje vem explicar tudo dipois.

Seguinte, num tem jeito de definir a mina aí porque ela é oito e oitenta ao mesmo tempo, num é meio termo, nem tudo, nem nada, é isto tudo junto. Só num posso dizer que a brodinha é perfeita porque junto de toda grande qualidade traz seu pecadin. E num é que isto parece que valoriza mais ainda. É igual gota de óleo na água, sem homogeneidade mas surpreende pelo destaque que tem.


Depoimento:

Como uma amizade pode se fortalecer, não é? Como o tempo contribui para isto. Não sei se é da própria Thaís ou de mim mesmo (esta timidez), mas foi um tanto demorada, a meu ver, nossa aproximação de conhecidos a amigos. O bom disto é que acredito no fortalecimento a cada passo de forma sólida.

Por fim, não é querendo ser sentimental demais, mas talvez já sendo (fato natural em mim), só tenho a declarar que reconheço na Thaís aquele tipo de pessoa que você tem certeza que, se não tivesse conhecido, sua vida seria totalmente diferente.

E se considerei, em diagnóstico passado, a Maíra como poço de espontaneidade. A irmã da espontaneidade só pode ser a sinceridade, que é a principal qualidade da Thaís.


Observações finais: Sempre sou sentimental demais. Acho que não sou um bom diagnosticador ou os pacientes escolhidos mechem demais com meu emocional. Veremos adiante.

5 comentários:

  1. Olá! João, você tem um estilo de escrita que muito me agrada! Eu gosto de como você escreve e, sem falsos elogios, acho que seu futuro como (como diria minha amiga) "escrivinhador" é grandioso. Obrigado pelas suas visitas periódicas ao meu blog! Espero um dia ter a honra de ser "diagnosticada" por este "Dotô"!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Εκτός Lethes!Εκτός Cronos! Εκτός João!

    Seu modo de escrita é tão simples porém tão complexo. Me pergunto quem se atreveria a TE diagnosticar rs. Muito legal tudo o que disse, verdade direta e espontânea.
    Abrs
    Εκτός!!

    Εκτός=Salve, em grego.

    ResponderExcluir
  3. Ai João, você é o máximo escrevendo...
    Mas não sei, há tantos defeitos e tantas outras contradições que não estão aí no texto... de qualquer forma, gostei do diagnóstico, menos da parte de criar um blog,mas vou reler muitas vezes e considerar tudo, quem sabe um dia. Ah teve outra coisa que detestei... a foto, de onde saiu essa coisa? aff!!!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns João!!!!! Você sabe que sou sua fã néh??? adoroooo seus textos...te desejo todo sucesso do mundo

    ResponderExcluir
  5. Interessante o diagnóstico! Seu dotô, quar meu pobrema? Diagnosticando os amigos, ehehehehhe!

    ResponderExcluir

Digite seu e-mail aqui para receber atualizações do Descaradamasio. A média é uma postagem semanal.