terça-feira, 17 de agosto de 2010

A porra da política de hoje

Zangado com isto, água contida transborda agora.

Cada pessoa é putamente complexa. Imagina o coletivo de seres humanos. Em tempos de eleições o que existe é uma guerra armada e muito bem (mal) planejada. O correto a se dizer é: Ninguém – nem mesmo os candidatos – sabem o que e porque estão fazendo.

Pessoas matam e deixam-se matar pelo que chamam de política. Pessoas compram, vendem e até alugam votos tão publicamente quanto as trabalhadoras da madrugada das esquinas de toda capital brasileira. Na política todos os envolvidos sempre dizem saber de tudo e usam frases sempre, pode parar e observar, categóricas e irretratáveis... a menos que a conveniência incite o oposto.

Nestas eleições presidenciais eu voto em Marina Silva com toda convicção do mundo. Categórico como todos meus companheiros errantes. Marina Silva faz uma nova política e me deparo com “marineiros”, assim são chamados os eleitores e apoiadores de Marina, que são muitos e acham que temos que acelerar o processo. “Marina é muito pacífica, quer mediar muito, fala muito elitizada...” ah, vai pra p*** q** p****!

Se é pra só panfletar, se é só pra dizer vote em Marina porque isto ou aquilo. Ou porque ela é Silva... há, pqp de novo. Marina está com mentalidade muito acima. Muitos a seguem por intuição porque, sinceramente, descobri que muitos não entendem o que ela diz. Ela fala os porquês de suceder um governo sem criticá-lo e as pessoas vem e dizem: É, Marina é sucessão, mas não pode falar bem dos outros governos não! Tem que falar mal, mas respeitando. Pqp pela terceira vez porque isto é impossível.

Eu sou + 1 e acredito em Marina Silva e me envolve ardentemente se preciso em sua campanha, não pela guerra de fogo cruzado que queima nosso dinheiro e que abala nossos palanques e dão matérias com auto valor-notícia aos jornalistas pelos ataques e catracadas.

Eu não sou partidário e pretendo não ser nunca. Acho uma bosta esta coisa de partido e isto, com certeza, um dia será abolido. Sozinho um partido não é nada e coligado é uma faca de dois gumes, uma verdadeira prisão onde um depende do outro e um manda no outro e um impede o outro de agir. Enfim, uma máquina em loop que não tem ritmo certo e quando acha um compasso é o pior passo possível.

O que importa para mim é a evolução que ocorre com o apoio à Marina ao meu e ao nosso modo, aqueles que se sentem ratos tentando sair da rodinha como eu. Desejo que Marina vença e acredito na vitória no primeiro turno mesmo! É! Alguns companheiros me dizem: “Se não for com Marina num vai ter transformação ou evolução.” Claro que vai!!! Só de nos reunirmos voluntariamente em prol da eleição de Marina que se candidatou por pedido popular e só de estarmos pensando em torno de tudo isto já é grande evolução. Nada é tão brusco e Marina não é uma santa milagrosa, é uma mulher que pode nos representar na tentativa convicta de mudar o Brasil, mas isto não se dá só com sua eleição. É apenas um, acredito pequeno, passo. O mais importante é a transformação interior em cada um, mesmo! Discordem o quanto quiserem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Digite seu e-mail aqui para receber atualizações do Descaradamasio. A média é uma postagem semanal.